27.9.07

Padrão Londrina. Nota Zero!

Esta esquina próxima ao Parque Zerão demonstra o "padrão Londrina" de comunicação exterior. Que confusão! Que feiura!
Difícil será contar o número de esquinas similares a essa, que existem em Londrina.
O saco de lixo azul, um intruso na foto, combina muito bem com o visual. Ou não?
Quando é que os londrinenses vão se dar conta de que está na hora de regulamentar a propaganda exterior?

5 comentários:

Zulmira A. Roxo disse...

Julio. Gostei muito do Blog. Essa sujeira visual estampada nas fotos é impressionante. Quem sabe uma exposição não faria as pessoas perceberem o que não vêem no cotidiano, simplesmente sentem!

Gostaria de saber onde comprar o seu livro.
Obridada
Um abraço
Mira Roxo (nome popular da Zulmira)
PS Obrigada por me adcionar no seu blog!

Julio E. Bahr disse...

Mira Roxo:
Obrigado pelo seu comentário.
Realmente, parece que abriram a porteira aqui em Londrina e a boiada desandou... é impressionante o que tenho visto de exageros na comunicação exterior.
A sua idéia da exposição é brilhante. Talvez a gente consiga levar isso para frente.
Quanto ao meu livro de contos "Encontro na barca e outras histórias de bahr", pode ser adquirido na Livraria Porto, Shopping Catuai. Acredito que você vai gostar.
Um abraço,
Julio Bahr

Carlos disse...

Você não viu nada, uma quadra abaixo ja estão instalando novos outdoors, tampando totalmente a frente de uma antiga lanchonete.
Pelo amor de Deus vamos nos unir para acabar com isto! CHEGA!
Vamos nos organizar?
Não vamos esperar o poder publico vamos agir já agora. Vamos salvar LONDRINA desta sujeira!

Anônimo disse...

Cara, vamos organizar algo rápido, Londrina não suporta mais,daqui a pouco tem gente morando nos quadros de outdoor, aí vão dizer que é de utilidade publica e social.

Julio E. Bahr disse...

Carlos:
A intenção é esta!
Precisamos juntar forças para que seja possível enfrentar a poluição visual da cidade.
Precisamos obter espaço nos meios de comunicação para mobilizar os londrinenses.
O blog está tentando chamar a atenção para o problema.
Abraço,
Julio